A FESTANÇA TEM QUE ACABAR!

Clique e veja > Obra abandonada durante anos

A FESTANÇA TEM QUE ACABAR!

Imagine uma área de proteção ambiental, uma APA como se diz no jargão ambientalista, onde vivem aves, répteis, mamíferos e inúmeras variedades de insetos. Imagine uma região com folhagens, flores, árvores, todos os seres vivendo harmoniosamente. Não mais do que de repente vem o bicho homem e invade aquele santuário, explodindo fogos e foguetes, iluminando a noite com feéricas luzes, substituindo o pio  da coruja, o coaxar dos sapos e o canto do  bacurau pela louca bateria eletrônica e a pirada performance das guitarras elétricas,  transformando a noite em dia e o dia em um inferno para os seres vivos que vivem na área com suposta proteção ambiental.

Imaginou? Pois bem: isso existe de  verdade. E bem aqui na Barra da Tijuca na área do Campo de Golfe Olímpico. Lá tem festa que começa às duas da tarde e vai até 5 da manhã! O repertório é eclético, indo desde “Pagode Sorriso Maroto” até sertanejo com incursões pelo “pop”  e DJs de funk com tudo aquilo que acabamos de descrever, e claro, sem licença das autoridades ambientais. A coisa chegou a tal ponto que a Gestora do Parque Marapendi, Rosana levou  o problema à Patrulha Ambiental, que notificada, foi lá e multou a turma que organiza a festança. Adiantou? Nada! As festas no campo de Golfe seguem rolando. Em vista de tudo isso, no ultimo dia 27 de junho, houve uma reunião no Condomínio Malibu com a participação do Condomínio Reserva Uno através do síndico Fernando Duque Estrada, do Suplente Leandro Valente e da Conselheira Karina, além dos diretores da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca José Manuel e Pedro Manuel Rio Tinto de Matos, este último também Síndico do Malibu. A comunidade esta fazendo a sua parte, denunciando e protestando. Espera-se que as autoridades responsáveis pela proteção ambiental façam também a  sua, cumprindo a lei com firmeza e rigor exemplares.

Ou se acaba com essa festança ou ela vai acabar com o equilíbrio ambiental da região e com a paciência dos moradores dos condomínios vizinhos.

Roberto Salvador

Diretor CCBT

Categorias Uncategorized